quarta-feira, 6 de maio de 2015

Acervo Pessoal: Ace Combat Zero



O acervo dessa semana trás a primeira parte do Acervo ao redor dos Ace Combats que para mim tiveram uma das melhores histórias de fundo. Vamos começar com Ace Combat Zero, o inicio e término da chamada Belkan War.(A guerra acaba no mesmo jogo, mas o 5 é sequencia direta do Zero).

Ace Combat Zero se passa 15 anos antes do 5(Para vocês não ficarem perdidos na timeline). Você vai encontrar muitos personagens aqui que são parte do 5 também.

Você é Cypher, um piloto sem rosto que faz parte de uma força militar mercenária pertencente a Ustio. O mundo está em guerra entre Belka e as nações aliadas(Osea,Yukitobania,Ustio,Sapin e outras). Seu melhor amigo e companheiro de esquadrão é Pixy, um dos pilotos mais temidos da época. Ao decorrer do jogo você vai realizando missões para as nações aliadas e seu nome começa a ser cada vez mais respeitado e temido. Algumas missões te levam para o área chamada de B7R, conhecida pelos pilotos como "A Távola Redonda". Nesse espaço deserto, os maiores pilotos se enfrentaram, e é aqui que você derrubar parte dos esquadrões inimigos. A partir dai você começa a ser conhecido com "Demon Lord"


O legal da história é que esses esquadrões inimigos tem suas próprias histórias, e elas são contadas em cutscenes live action, explicando como eram, e como estão, anos depois de te enfrentarem.


No final você acaba com a guerra, mas uma nova ameaça aparece, fazendo você continuar lutando para acabar com tudo de vez.

A jogabilidade é a mesma de sempre, controles fáceis deixam você a vontade para ir direto para o jogo e abater seus alvos. Falando em abater, o jogo possui um sistema novo, o de "surrender", muitas das vezes um avião quando é atingido ele não explode, ele fica avariado. Caças assim ficam marcados com uma cor amarela, e ai depende da filha putagem do player em destruir eles ou deixar viver. Isso entra em conjunto com um sistema de reputação, onde quanto mais alvos amarelos deixar vivo, mais heroico você fica, e o oposto acontece, quanto mais alvos amarelos você destruir, mais mercenário. No meio dessa reputação existia o neutro, que era a média. 

Com isso você ganha medalhas e cores novas(Alem do fator replay, pois você não pode terminar a campanha nos 3 níveis). E o legal é que dependendo da sua reputação, os inimigos são diferentes. Esquadrões diferentes aparecem para enfrentar você de acordo com a reputação. Isso me fez jogar o jogo umas 5 vezes.

Achei os gráficos sensacionais para a época, os detalhes foram capturados ao máximo possível para um jogo de PS2. Cada um dos caças foi bem trabalhado e detalhado, e olha que esse jogo possui muitos.

Veredito Final: Take my breath away.... TUM TUM...TUM TUM(Eu tenho que parar de pegar musicas de Top Gun).

Nenhum comentário:

Postar um comentário