quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Ys e O Livro de Presságio Desaparecidos

Criado pela Falcom em 1987 para o computador e reprogramado para o Sega Master System em 1988, Ys The Vanished Omens foi um precursor para os RPGs que enfatizam a narrativa contando a história do jovem espadachim Adol Christin.


Historia

O game começa na cidade de Minea, na terra de Esteria. Adol é chamado por Sara, uma cartomante que lhe fala sobre um grande mal que esta devastando a terra. 




Nosso herói é informado sobre seis livros que contêm a antiga história da terra de Ys. Estes livros lhe darão conhecimento para derrotar as forças do mal e salvar a terra. A cartomante da a Adol um cristal e todas as instruções necessárias para que ele encontre sua tia que contem a chave para a recuperação de um dos livros na vila Zepik. E assim, nossa grandiosa aventura se inicia...

Jogabilidade

Nós jogadores controlamos Adol em um campo de visão isométrica, ou seja, vista de cima para baixo. O combate em Ys é um pouco diferente de outros RPGs da época, não haviam batalhas de turno ou uma espada a ser ativada manualmente, ao invés disso, o protagonista atacava automaticamente quando andava e esbarrava em cantos afastados do centro do corpo inimigo. Quando Adol se move em direção ao centro do inimigo, ocorre dano tanto no herói quanto no inimigo. 






Este sistema de combate foi criado com acessibilidade em mente. O sistema de "Colisão/ataque" tornou-se uma das características da série. Outra característica que tem sido utilizada em quase todos os títulos da série é o mecanismo de recarga da saúde. A saúde se regenera progressivamente com o tempo no mapa porém em masmorras e chefes o mesmo não ocorre fazendo com que haja necessidade de estratégia em cada etapa do jogo.



Para avançar em um jogo como Ys caros leitores é preciso dedicação para conhecer cada localidade do game, bem como armas e defesas disponíveis, além de debulhar a trama conversando com todos habitantes das aldeias e cidades.

Musicas

As magníficas musicas de Ys são compostas por Yuzo Koshiro juntamente com Mieko Ishikawa, a trilha sonora é considerada por muitos uma das melhores obras já compostas, em uma época em que as musicas de video games estavam começando a progredir.

Posteriormente vários álbuns com trilha sonora da série foram lançadas pela falcom: Music From Ys (1987) que contem a trilha sonora para edição PC-8801 original, junto de uma série de faixas não utilizadas no game original.

Perfect Collection Ys (1990) que é um lançamento de dois discos, o primeiro com um novo arranjo da trilha sonora por Ryo Yonemitsu e o segundo com arranjos variados de faixas de Ys e Ys II.

Music For Us Renewal (1995) que é a trilha sonora completa de Ys, incluindo as faixas bônus, reproduzidas em equipamentos atualizados.

Ys & Ys II Eternal Original Sound Track (2001), um lançamento de dois discos que consiste em trilhas sonoras para os remakes de PC do Ys e Ys II.


Veredicto Final

Ys é um jogo contagiante com musicas viciantes e jogabilidade inovadora, uma experiencia magnífica a ser jogada por cada gamer saudosista.

Metal Gear

Aproveitando o recém lançamento do grandioso Metal Gear Solid The Phantom Pain para os consoles da nova geração, o game desta semana é Metal Gear.


Metal Gear teve seu lançamento em setembro de 1987 nas terras Nipônicas. O jogo foi criado pelo gênio Hideo Kojima e produzido por uma das grandes companhias Japonesas chamada Konami, a mesma produtora de séries como: Castlevania, Contra, Silent Hill, dentre outros grandes sucessos. Metal Gear foi o primeiro jogo realmente lançado por Kojima, uma vez em que seu primeiro jogo desenvolvido, Lost World, foi cancelado em 1986 pela Konami.


Originalmente, Metal Gear foi lançado para o MSX2, na Europa e no Japão, depois, foi convertido para o NES/Famicom tendo muitas alterações em relação ao jogo original, deixando a versão para NES muito inferior no quesito enredo, onde a série sempre se destacou.

História

Em 1995 o governo americano é informado que uma fortaleza chamada Outer Heaven, formada pelos “Militares sem Fronteiras”, localizada em uma região florestal da África do Sul, vinha mantendo armas de destruição em massa potentes o suficiente para mudar a história das guerras. A fortaleza foi criada por um veterano soldado, temido por todos, tanto pelos aliados quanto inimigos.
Com base nessa informação, as Nações Unidas entram em contato com à Unidade de Alta Tecnologia das Forças Especiais, FOXHOUND, liderada por Big Boss, para que a situação seja resolvida.
Big Boss envia seu melhor agente, Gray Fox, para verificar o local e iniciar a primeira operação de infiltração.

Operação “Intrude N312”


Gray Fox descobre a existência de um arsenal e na tentativa de enviar informações ao comandante é capturado. As únicas palavras transmitidas são “Metal Gear…”. Com a captura de Gray Fox, Big Boss envia Solid Snake, um novato na unidade, porém muito talentoso.


A missão tinha como base descobrir o que era “Metal Gear” e resgatar Gray Fox. Logo após infiltra-se na base Snake encontra Diana e Jennifer, membros da resistência contra Outer Heaven, com a ajuda delas Snake resgata Gray Fox que explica a existência do Metal Gear. “Metal Gear é a primeiro tanque bípede, blindado, capaz de operar em qualquer terreno, equipado com lança mísseis nucleares.” Uma arma que poderia mudar o rumo das guerras.


O objetivo de Outer Heaven era estabelecer uma superioridade militar sobre o mundo, e o objetivo de Snake era destruir o Metal Gear. Para destruir o Metal Gear, Snake precisa resgatar o engenheiro chefe do projeto, DR. Drako Madnar Pettrovich, que era obrigado a trabalhar na construção do blindado, uma vez que sua filha havia sido sequestrada e mantida em cativeiro.

Ellen

Dr. Drago Pettrovich Madnar

Após resgatar Ellen, o cientista ensina a Snake como destruir sua criação, entretanto, conforme Snake se aproxima do centro de controle da base, algumas armadilhas parecem como se estivessem esperando por ele. O líder da resistência contra Outer Heaven, Kyle Schneider, morre em combate e Snake fica gravemente ferido. Ele é levado para uma prisão 100 andares abaixo da terra. Snake consegue escapar e encontrar o Metal Gear, ele destrói a máquina, poucos instantes de a missão ser encerrada. 


Durante a fuga, Snake encontra Big Boss, o líder da agência que ri de Snake e revela a verdade por trás da operação. Desde que entrou no comando da FOXHOUND, Big Boss estava usando suas ligações no governo para corromper e roubar informações confidenciais, financiando suas atividades. O objetivo era fazer de Outer Heaven a nação mais poderosa do mundo, tendo ele como líder. Big Boss decidiu enviar Solid Snake na esperança de que este fosse capturado e desse ao governo dos EUA informações falsas, mas subestimou as capacidades de Snake, não imaginando que ele poderia chegar tão longe, o que o fez admitir que Snake é um dos melhores. Big Boss ativa a autodestruição de todo o complexo, enquanto a fortaleza é destruída, os dois se digladiam em uma luta mortal.


Jogabilidade

Metal Gear é um jogo enquadrado na categoria Stealth, ou seja, jogos de espionagem com ação no qual o jogador deve evitar ser percebido pelo inimigo, fazendo uso da furtividade. O jogador deve mover o personagem por toda Outer Heaven, evitando confronto direto com os soldados que patrulham as áreas. 


Caso o jogador seja avistado, o jogo entrará em "Modo de Alerta", desta maneira, o jogador deverá se esconder até mque a situação volte ao Status "Normal". Os modos de alerta variam dependendo da sitação, caso haja apenas uma exclamação (!) sobre a cabeça de quem o viu, apenas os inimigos na área irão atacá-lo, sendo possível fugir para uma proxima área. Caso duas marcas de exclamação (!!) apareçam, ai a coisa ficou séria, apareceram reforços em outras áreas tambem e Snake terá de eliminar todos os inimigos ou se movimentar para andares diferentes.


Snake começa desarmado, mas eventualmente ganha acesso a uma variedade de armas e itens como explosivos, armas automáticas e um lançador de mísseis, além também do personagem poder utilizar de seus próprios punhos para lutar contra os inimigos.

Veredicto Final

O Metal Gear do MSX2 foi a ponta de um imenso iceberg, o primeiro de uma série de jogos que transcende até hoje por várias gerações. É incrível o mundo criado por Kojima, uma trama altamente complexa, com personagens cativantes e diversas cenas memoráveis.

Castlevania: Symphony of the Night

Castlevania: Symphony of the Night é um clássico desenvolvido e distribuído pela empresa Nipônica Konami lançado em 1997. O jogo é o 13º título da série, foi o primeiro lançado para o playstation da Sony e é a sequencia direta de Castlevania: Dracula X do PC Engine CD lançado em 1993.


Symphony of the Night foi uma obra importante, que levou a série Castlevania a um novo patamar. Ele é diferente dos outros jogos da série e introduziu um novo estilo de jogabilidade com elementos de RPG. 

História


"Foi Richter Belmont, o lendário caçador de vampiros, que conseguiu finalmente acabar com a ameaça do Conde Drácula, Senhor dos Vampiros que tinha sido trazido de volta do túmulo pelo padre negro Shaft.

No entanto, uma noite 4 anos mais tarde, sob o brilho da lua cheia, Richter misteriosamente desapareceu.

Com a menor idéia de por onde começar sua busca, Maria Renard saiu em busca dele. Foi então que o destino interveio.

Castlevania, o castelo de Drácula, do qual há boatos de aparecer uma vez a cada século, de repente, materializou-se da névoa como se para mostrar-lhe o caminho.

Enquanto isso, forças poderosas estavam lutando pela alma de um homem chamado Alucard. O mesmo Alucard que havia se unido com Trevor Belmont para a batalhar seu pai imortal, Conde Vlad Tepes Drácula.

Alucard, a fim de purificar o mundo de sua própria linhagem maldita, tinha submergido seus poderes vampíricos e entrou em o que era para ser um sono eterno. Mas agora, ele está acordado e consciente do mal que mais uma vez aflinge sua terra natal.

O tempo voltou mais uma vez para as forças do Bem e do Mal de se envolverem em sua antiga batalha. O castelo de Drácula chama por você...

e nenhum homem poderá dizer quem sairá vitorioso."

Texto de introdução da versão americana do jogo para o Playstation




Quatro anos após a batalha entre Richter e Dracula, a escuridão reaparece. O fantasma de Shaft, o sacerdote das trevas, ressurge com um novo plano de ressuscitar seu mestre. Ele lança um feitiço em Richter, fazendo-o ficar sob seu domínio. Alucard, o mesmo que se uniu a Trevor Belmont 300 anos atrás acorda de seu sono para impedir os planos malignos de Shaft na tentativa de salvar a humanidade...

Gameplay

Symphony Of The Night é um jogo em side-scrolling não linear. No inicio, Alucard só acessa certas áreas do castelo, mas ao obter novas habilidades, como as de se transformar em lobo, morcego e neblina por exemplo, ele gradualmente poderá acessar áreas antes inacessíveis. O jogo conta com elementos de RPG, os pontos de vida do personagem são representados pelo Hit Point (HP) que determinam a quantidade maxima de dano que ele pode suportar e Magic Point (MP) que determinam quanto de magia pode ser lançado. Além disso, o Level representa o nivel de evolução do personagem, assim como na maioria dos RPGs. Quanto maior o Level, maiores habilidades de força, constituição, inteligencia, sorte, ataque e defesa de Alucard.


Enquanto antigos protagonistas da série utilizavam principalmente o clássico chicote Vampire Killer, Alucard pode encontrar e equipar em cada mão, armas que vão desde espadas, facas, escudos e divérsos itens descartáveis como bombas, dardos, boomerangs, etc... algo que era impossível em jogos anteriores da série. Além disso, existem ainda as armas secundárias que assim como nos jogos anteriores vão de: Adagas, Água benta, Bíblia, Crucifixo, machado, relógios e um diamante que assim como nos jogos antecessores necessitam de corações para serem utilizados. 



Alucard pode também ser equipado com itens encontrados durante a aventura, relíquias encontradas em certas áreas do castelo irão fornecer a ele diferentes habilidades, como a capacidade de dar um salto duplo por exemplo. Ao longo do jogo, o protagonista pode adquirir familiares, que funcionam como ajudantes no campo de batalha e na exploração do castelo, são eles: Fada, Demonio, Fantasma, Morcego e Espada.

Musicas

Impossível escrever sobre Symphony of The Night e não comentar sobre a bélissima trilha sonora composta por Michiru Yamane. Ela contem elementos de gêneros musicais diversos, indo do techno, rock gótico, new age, jazz e musica classica a muitas variações do Heavy Metal. 

As musicas são todas encontradas facilmente em sites como YouTube, segue o nome de cada uma das faixas abaixo:


01 - Metamorphosis 1
02 - Prologue
03 - Dance Of Illusions
04 - Moonlight Nocturne
05 - Prayer
06 - Dracula's Castle
07 - Dance Of Gold
08 - Marble Gallery
09 - Tower Of Mist
10 - Nocturne
11 - Wood Carving Partita
12 - Door Of Holy Spirits
13 - Festival Of Servants
14 - Land Of Benediction
15 - Requiem For The Gods
16 - Crystal Teardrops
17 - Abandoned Pit
18 - Rainbow Cemetery
19 - Silence
20 - Lost Paintings
21 - Dance Of Pales
22 - Curse Zone
23 - Enchanted Banquet
24 - Wandering Ghosts
25 - The Tragic Prince
26 - The Door To The Abyss
27 - Heavenly Doorway
28 - Death Ballad
29 - Blood Relations
30 - Metamorphosis 2
31 - Final Toccata
32 - Black Banquet
33 - Metamorphosis 3
34 - I Am The Wind

Veredicto Final

Um clássico, uma obra prima, um jogo que transcendeu gerações. Castlevania: The Symphony of The Night merece ser jogado e apreciado por cada gamer de cada geração, apesar dos bons títulos posteriores da série, sem duvida esperamos que um jogo a altura deste ainda venha pela frente.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Filosofamus: O Bom, o Mal e o Maneiro - Parte I: Como você consegue ?

Ao entrar no mundo virtual dos vídeo games sempre estamos na pele de um protagonista, ou conjunto de personagens. Um dos fatores fundamentas, para o bom desenrolar da trama, é a relação que se estabelece entre jogador e protagonista. Algo que pode ser bem conhecido para uns, e inconsciente para outros, é os variados tipos de protagonistas. Nesse textos vamos descobri porque nos envolvemos com esses brutos, digo, porque carambas amamos nossos protagonistas favoritos.
Quando estamos na pele de um soldado enraivecido, um encanador chegado em um cogumelo, um rato azul extremo de rápido, ou um semi deus completamente babaca, estabelecemos relações com esse personagem, algo que pode ser compreendido melhor como um vinculo. Esse vinculo é estabelecido mediante ao desenvolver da trama. Geralmente isso está intimamente ligado a nossas próprias escolhas morais ou até mesmo vontades, desejos e idealizações.







Abordando como exemplo o seguinte: nós tomamos como modelos aquilo que nos conecta mais, sempre de acordo com a história de relações desenvolvidas com o que nos cerca. Uma pessoa com interesse politico de Direita irá se vincular a canais de Youtube, paginas de Facebook, jornais, que sustenta seu sistema de crenças, da mesma forma que uma pessoa de Esquerda fará. Do mesmo jeito que aplaudimos quem ajuda os mais frágeis, ou os mais carentes, mesmo não praticando tais ações. Concluindo, podemos nos relacionar com aspectos que vão ao encontro de nossas ações, ou desenvolver afinidade por ações de outros que são semelhantes ao nosso sistema de crenças.

Nos games não acontece diferente quando nos relacionamos com nossos personagens. Tanto em jogos como Fallout, Dragon Age, Mass Efection, que te permitem um número limitado de escolhas. Quanto jogos como Assassin's Creed, The Order 1886, Call of Duty, Halo; jogos que já possuem o enredo delimitado e nunca será diferente.

Quando o jogo não nos permite uma escolha ele vai recorrer algo que chamamos de senso comum. As pessoas de um modo geral veem como referência esse termo como algo pejorativo, mas não se atenha a isso. Senso comum é a capacidade de interpretação comum a todas as pessoas. Esse domínio comum de interpretação fica evidente em nossas leis, como : matar, roubar, enganar, mentir; são ações, que de forma absoluta, são ruins. Ou também em construção de argumentos falaciosos que apelam para o senso comum lógico para se beneficiar no debate. Conceitos um pouco complexos então não vamos nos manter no aprofundamento do senso comum. Entendam somente o seguinte, todos nós possuímos uma maneira comum de relacionar eventos. Todos os jogos citados acima, de enredo fixo, usam dessas mesmas condições absolutas, de forma que mesmo que nossa personalidade não esteja compatível com a do protagonista ela é almeja. Como a força de vontade do Ezio, a perseveram do Grayson e senso de justiça do Master Chief. Mesmo nem de longe possuindo ou praticando a ações desses cavaleiros brancos somos inclinados a amá-los.



Esses são os cavaleiros brancos, a luz da manha, a honra personificada. Mas e se gostamos mais dos vilões, somos psicopatas? Semana que vem, na parte II, vamos entrar nos vilões que marcaram as pessoas, tentando compreender porque carambas eles são mais fodas que os heróis, e também entender o que faz um vilão e um herói.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Rise From Your Graves - Shenmue, o clássico que deu vida a um novo gênero

Shenmue foi lançado no final de 1999 no japão e inicio de 2000 no ocidente, produzido pelo mago da Sega Yu Suzuki para o Dreamcast. Suzuki criou um novo gênero com Shenmue o Full Reactive Eyes Entertainment, ou simplesmente FREE, gênero que consiste em sua interatividade e liberdade, incompatíveis até então aquela época, bem como um sistema inovador que simulava as condições climáticas em tempo real. Os jogadores não jogáveis possuíam falas diferentes, dependendo da hora e do dia, além do jogo possuir diversos Quick Time Events, ou QTEs, que é um método que permite o controle limitado do personagem durante as cutscenes dos jogos. Shenmue possui um vasto e rico ambiente, onde é possível comprar brindes em maquinas caça níquéis ou jogar fliperamas em arcades e até mesmo permite explorar lojas de conveniência pela cidade.




quarta-feira, 29 de julho de 2015

Acervo Pessoal: Breach & Clear



O acervo dessa semana trás mais um jogo para pc, dessa vez o jogo escolhido é um jogo que eu achei do nada, que simplesmente brotou na minha main page da Steam.


Breach&Clear é diferente da maioria dos jogos. Pode ser considerado "um pouco" parecido com XCOM, por ser por turnos e tático. A história do jogo.....não tem história, você escolhe uma equipe militar entre os Seals, Marines, SAS, Spetnaz e etc, e realiza missões ao redor do globo.

A jogabilidade do jogo pode parecer estranha de inicio, mas depois se pega o jeito. Você escolhe as entradas por onde quer começar a missão e o caminho inicial do personagem. Seu esquadrão é composto de 4 personagens com classes que você escolhe, e cada classe possui habilidades diferentes que dão uma vantagem especial.

Enfim, depois de escolher o caminho, você pode selecionar mais pontos, dentro desse caminho para fazer com que o personagem mire em uma direção escolhida. Depois de fazer isso com os 4 personagens, você clica pra iniciar e vê a ação acontecendo... E o jogo é basicamente isso. A dificuldade do jogo é que depois que a ação se desenrola, não tem como voltar atrás, ou seja, passou direto e esqueceu um inimigo, vai ter que gastar um turno voltando e provavelmente tomando tiro.



Ao terminar a missão você ganha dinheiro e XP, dinheiro você usa para comprar armas melhores, equipamento, itens, acessórios para armas e afins, já o XP você usa para melhorar as skill dos personagens, como reação, vida, mira e etc.

E mesmo com esse gameplay "parado" é um jogo bem divertido e desafiador. Sobre a questão gráfica, o jogo é um pouco antigo, então os gráficos não são grande coisa.

Resumindo, é mais um daqueles jogos que brotam na sua frente e você acaba gostando.

Veredito Final:"GO,GO,GO!!!!"

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Rise From Your Graves - Turma da Mônica em O resgate

Em 1993, a SEGA representada pela TecToy no Brasil, criou um joguinho tímido em nosso território que ganhou uma reformulação mais nacional no Master System. Turma da Monica em O resgate é nada mais nada menos que uma modificação de um jogo de 1989, Wonder Boy III The Dragon's Trap só que em português e com nossos saudosos personagens de infância.


quarta-feira, 22 de julho de 2015

Acervo Pessoal: BLADESTORM: Nightmare


Opa, e ai pessoal, voltamos com mais um Acervo pra essa semana. Primeiramente, peço perdão pelo vacilo, semana passada eu fiquei com preguiça esqueci de fazer o acervo, mas também não tinha nada novo para escrever sobre. Pois bem, essa semana eu trago minha nova aquisição, Bladestorm: Nightmare. Então vamo que vamo.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Psicologia e Games: Video Game vicia?

Aaaa, essa com certeza é a maior preocupação de nossos progenitores. Vocês gamers provavelmente torceram o nariz quando viram o título. Isso é uma reação bem comum quando nos deparamos com informações que podem contrariar nossa fonte de prezar. Porém vamos ver isso com todo o conhecimento cientifico que a psicologia pode propiciar. Não devemos tomar conclusões apressadas, então senta aqui do meu ladinho, da a mão e vamos descobrir.


Então, a primeira coisa a aprender é a seguinte: tudo que é bom PODE viciar.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Rise From Your Graves - Einhänder, o braço manipulador da Square

Einhänder é o titulo em alemão para o grandioso shooter em side scroller desenvolvido e publicado pela Squaresoft em 1997 no Japão e em 1998 na América do Norte para o Playstation da Sony.


O nome do jogo denota um tipo de espada que é empunhada apenas com "uma mão", utilizado aqui para se referir ao braço manipulador único possuído pela nave controlada pelo jogador.


terça-feira, 14 de julho de 2015

Filosofia e Games: Maniqueísmo e Dualismo

Novo quadro galera do mal. Vamos juntar agora a Filosofia para entender questões fundamentais dos jogos, da construção de um enredo a escolhas moral e éticas de cada personagem. Passando por todos os personagens clássicos até os dias de hoje, entendendo o que faz um Herói, um Vilão, um Antiheroi. Como uma história se torna dinâmica ou linear.Para começar vamos analisar a mais velha de todas as brigas, o Bem e o Mal, ou nos termos correto, o Maniqueísmo.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Rise From Your Graves - Streets of Rage, O punho de aço furioso

Como já foi explicado diversas vezes aqui mesmo no Jogamus, Beat 'em Ups se caracterizam por uma série de combates corpo a corpo entre um personagem ou um grupo de personagens, contra um numero ainda maior de oponentes, geralmente ocorre em um cenário com profundidade, sendo na maior parte das vezes side-scroller, ou seja, a ação rola em um ângulo de visão lateral, em geral ocorrendo da esquerda para a direita. 

Streets of Rage


quarta-feira, 8 de julho de 2015

Acervo Pessoal: World of Warships



O acervo dessa semana trás um jogo que apareceu para mim do nada. Recomendado por um amigo, eu resolvi testar, e não me decepcionei.

Como o nome próprio diz, você controla navios nesse jogo, você pode formar uma pequena esquadra com seus amigos e participar de batalhas em grande escala com objetivos aleatórios: as vezes é um simples deathmatch, outras vezes é quem captura mais bandeiras e por ai vai.

A jogabilidade pode ser um pouco complicada para iniciantes. Controlar seu navio pode ser um pouco mais difícil que o normal, já que realisticamente a embarcação demora para fazer uma curva, ou acelerar. Seus canhões têm que um delay para se ajeitarem, o tempo de recarga também é grande, é preciso saber qual tipo de munição é melhor para qual embarcação, ou onde atirar para causar mais dano e etc. Tudo isso deixa o jogo com um gameplay mais técnico e realista( E como jogador de ARMA II e III eu acho isso ótimo).


Você começa com um cruiser no jogo, mas depois pode liberar novos tipos de embarcações, como destroiers, battleships e porta aviões. Depois de cada batalha você ganha XP e dinheiro para pesquisar e comprar aprimoramentos e /ou novas embarcações.

O gráfico do jogo é muito bonito(ou deve ser hehe, meu note roda com tudo no low). Os navios são fielmente reproduzidos, os cenários gigantescos e a trilha e efeitos sonoros são outro show a parte. Recomendo muito.

OBS:O jogo se encontra atualmente em Open Beta.

Veredito Final: "Virar a estibordo e.....FOGO"

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Rise From Your Graves - Ghouls and Ghosts, A árdua taréfa de se chegar ao topo

Começo a postagem de hoje de uma maneira um tanto quanto nostálgica. A um tempo, passei a tarde jogando Ghouls and Ghosts do mega driver com alguns amigos, e caro leitor, digo-lhes, que não me lembrava o quão gostoso é o sentimento de satisfação de terminar um jogo. Não é que eu não tenha terminado outros ultimamente, mas é que os jogos de hoje em dia são tão absurdamente fáceis que não se tem mais aquele desafio que por mais absurdo que seja merece ser superado.



A história do jogo "não é nada clichê", você controla o cavaleiro Arthur que tem a missão de resgatar sua amada das garras do poderoso demônio supremo Loki, no jogo você conta com 6 tipos de armas diferentes que são uma lança, facas, bola de fogo, discos, machados e depois que você chega no final pela primeira vez, pode adquirir o lendário "PSYCO CANNON"... 



Como assim, termina o jogo pela primeira vez!? É que para terminar com Loki você precisa do poder supremo, e ele só é adquirido quando você volta para a primeira fase para percorrer todo o caminho novamente, é aí que você pega o PSYCO CANNON e "manda bala" nas monstraiadas.


Arma Psyco Cannon















Alêm do arsenal, Arthur pode receber também a armadura dourada, para esta, basta apenas encontra-la no baú enquanto estiver usando a armadura comum. Com ela, nosso heroi pode acumular o poder da arma que estiver usando.



Quando Arthur sofre um dano sua armadura se quebra e ele fica só de cueca. Ao abrir um baú, existe a possibilidade de sair um feiticeiro que o transformará em pato ou um velho.





O jogo pode ser desfrutado em duas dificuldades distintas, o pratice e o professional, o pratice é como se fosse o Hard de um jogo atual e o professional é o Hardest. Se você achou mega man 9 dificil é porque nunca jogou este jogo aqui no profissional. O jogo conta com 5 fases distintas e uma fase do chefe, que é a de Loki, como você terá que jogar duas vezes, são 11 fases no total.





Arthur, você foi bem até agora, mas você não será capaz de derrotar Loki, que está atrás da porta. Volte para a aldeia e obtena o poder mágico dos Deuses da batalha.

 

  


Arthur, vista sua armadura mágica e abra a caixa mágica. Tenho certeza de que a Deusa irá aparecer. Boa sorte Arthur, eu acredito que você irá derrotar Loki.




Veredicto Final

A melhor recompensa é aquela vinda de trabalho duro. Jogar Ghouls and Ghosts no profissional pode ser uma tarefa tão difícil quanto a de escalar uma montanha, e a chegada ao topo é tão gratificante, que faz o caminho percorrido ter válido a pena.