quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Jogamus nas Coxas: Resonance Of Fate



Resonance Of Fate, ou somente ROF, está com certeza na minha lista  "top RPG's" . Seu gameplay era diferente de qualquer um que conhecia na época,  sendo um dos poucos que me fez ficar perdendo horas a fio por XP e itens.

Ah e o mais importante: diferente de outros RPGs, aqui não tem negócio de magia rosinha e cura e espadinha. Aqui é coisa de macho, em ROF os personagens usam metralhadoras, pistolas, granadas, itens, tipos de munição. Enfim, tudo aquilo que você sempre quis, mas nunca pode ter.

O gameplay de ROF é um pouco diferente, pelo menos no combate, onde qualquer m**** bem grande, você ta f******* (não igual a Natural Doctrine, aquele nem se fala...). Apertando um botão do controle aparece um caminho em linha reta, nela você pode escolher onde vai parar. Assim o jogo te coloca  em uma animação, onde seu personagem corre até o ponto selecionado "carregando" o ataque. Quanto mais carregamentos, mais dano. Ao apertar outro botão uma animação, estilo matrix, ocorre com seu personagem, atirando e pulando. Se tiver inimigos com armas, eles  pulam desviando dos tiros. Super f*** ! Caso tenha algo no caminho, você pode pular apertando outro botão. Estou falando botões porque depende do console, e também porque não lembro mais dos controles. Para você que ficou confuso que nem eu enquanto escrevia, quem sabe a imagem ajude:








Certo, nisso ai você  usou no máximo 3 botões se não estou enganado,simples não? Para matar os inimigos você tem que dar dois danos: com metralhadora para tirar dano de escudo e com pistola ou explosivos, que transforma o dano da "metralha" em dano "real".

Ah sim, se você tomar um dano muito forte, você quebra sua barra de "herói", se quebrar a barra toda, seus personagens ficam se cagando de medo e ficam bem mais fácil de morrerem. a barra de "herói" recupera ao matar inimigos e dar danos f****. Como eu disse"simples".

No Mapa do mundo a coisa fica mais simples,andar pelo mapa, encontros aleatórios, usar itens para abrir caminho e continuar andando até a Dungeon mais próxima e quando se entra nela tem mais combates. Nisso acho que ROF se mantém igual aos outros RPG's .





Bom isso não é um review supremo, então vou deixar o gameplay por ai. Agora,vamos para história.

História que não é grande coisa infelizmente, ela parece não fazer sentido, sem falar que a maioria dos 15 capítulos do jogo nunca dão enfase para ela, só coisas aleatórias que AS VEZES toca um pouco na história. Para salvar, a história começa a aparecer mais pro final do jogo, mas mesmo assim, pouco sentido.

Um resumo mal feito? ta bom, vou resumir a história.(SPOILER ALERT pra quem ainda for jogar).

O mundo ta f****** e os "manos"(entenderam??? hu"manos"?...) são obrigados a viver numa torre gigantesca, nessa torre se encontra nossos personagens(que também não são grande coisas, porque não há muita enfase em explicar seus passado). A torre funciona do mesmo jeito que na vida real, os ricos em cima, classe média no meio, e os pobres ficam na parte de baixo da torre. Existe meio que um "deus" que é uma maquina, e essa maquina meio que controla a vida dos cristais que são as vidas das pessoas(confusos? Eu também...).

O final do jogo é você indo contra os ricos f*****, a maquina não deixa você matar o ultimo boss, e no final dos créditos, aparece a torre ao fundo, e você no meio de um campo florido(Além de deixar um p**** final aberto, não explica porque o mundo não ta mais f*****)

Esse é o resumo mal feito.

Vamos aos personagens:Um emo(que não morreu depois de tomar um tiro na cabeça), um adulto que quer ser rico(que parece que era um soldado mas por algum motivo resolveu sair ), e uma mina ai que por algum motivo não morreu quando o "cristal de vida" dela era pra quebrar.

MESMO ASSIM MELHOR QUE NATURAL DOCTRINE...FALEI MESMO!!!!!

Veredito final: É só tiro,porrada e bomba.


Nenhum comentário:

Postar um comentário