quarta-feira, 25 de março de 2015

Acervo Pessoal : Final Fantasy Type 0 -HD



Primeiro, antes de começar esse acervo, vou admitir. Ele vai ser feito em cima de primeiras impressões, não é por preguiça, e sim porque não tive tempo de joga-lo adequadamente. Segundo, eu junto com os outros 90% que compraram o jogo, queriam apenas aquele demo do FFXV que vem junto. Eu queria jogar o type 0 também, mas não tive oportunidades.

Vamos começar pela história. O jogo te coloca no controle da Classe Zero, seguindo aquele clichê que normalmente se vê em mangas e animes, onde a turma do protagonista é a mais f*** e especial. No caso do jogo, a turma inteira é a protagonista. Os personagens têm seus nomes derivados de um baralho de cartas, ou seja, Ás, dois, três e por ai vai. Por sua turma ser especial e tal ela é tacada na linha de frente de uma guerra. Bem, não vou entrar em mais detalhes da história.

O gameplay do jogo é em tempo real, ou seja, não para nem quando você pausa para ir ao banheiro. Isso não é ruim, claro, um jogo em turnos faz falta de vez em quando, mas pessoalmente eu curto esse tipo gameplay fluido. Ao menos o pause podiam deixar, mas tudo bem...

O jogo possui um sistema onde seus amigos podem entrar no jogo, melhor dizendo, um avatar com o nome deles invade seu jogo para te ajudar. Você não escolhe a classe desse novo "aliado", então se ele roubou o lugar do seu personagem de longa distancia por um de combate corpo a corpo, você está f*******. Esse sistema deveria te ajudar, mas na verdade mais te atrapalha que ajuda.

Nas batalhas você controla 1 personagem, em uma party de 3, podendo trocar entre eles. Caso algum morra, você pode colocar outro aluno da Classe zero no lugar e continuar a batalha. Uma coisa que atrapalha MUITO nas batalhas é a câmera. Deus, parece que a câmera tem algum problema sério e resolve te atrapalhar no meio das batalhas, por puro prazer.




O jogo trouxe algo que, pessoalmente eu odeio em jogos (Até gosto, dependendo da situação, mas isso é outra história). TIMER, ou tempo limite. Por exemplo, ao realizar a primeira missão e ao chegar ao capitulo 2, o jogo te dá 8 horas até a próxima missão. Cada personagem com uma "!" na cabeça te tira 2 horas do tempo, Quest que requerem que você saia da academia para realiza-las, gastam 6 horas. 

A propósito, o jogo te trava com 3 personagens ao sair. Você pode até trocar a ordem depois, mas tem que entrar numa cidade para faze-lo. Pessoalmente, isso acaba se tornando uma tarefa, e tira a vontade de upar seus personagens. Pequenas coisas assim FAZEM a diferença, o simples fato de eu ter que quebrar a sequencia, ter que ir pra cidade e trocar de personagem, tira a vontade de upar.

E o que dizer sobre os gráficos? Ok,ok... Eu sei que isso veio do PSP e etc, mas não vou passar mão na cabeça. Os gráficos aqui são muito aleatórios. Personagens em algumas cutscenes estão bonitos, os cenário, magníficos. Em outras você enxerga claramente os pixels da roupa, da parede, de todo o local. São "essas" cutscenes que são os problemas. Um remaster para PS4, MESMO vindo do PSP, poderia e deveria ser melhor trabalhado em questão dos gráficos.

No geral, não é um jogo ruim, poderia ser melhor trabalhado graficamente, o sistema de câmera e o sistema de lock também podiam ter recebido uma olhada melhor. Vou tentar achar tempo no futuro para jogar mais esse jogo apesar de tudo.

Veredito Final: Presente Professor Linguiça!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário