segunda-feira, 16 de março de 2015

Burning Fingers : Ninja Gaiden II

Coloquem seus óculos protetores, afastem-se do teclado e peguem seus calmantes. Aqui,  nessa terça nublada, vamos invadir o mundo do ninja mais sanguinário dos jogos: Ninja Gaiden II.



Ninja Gaiden II é o elegantíssimo jogo de uma série memorável, que começou no Nintendinho 8-bits. Produzido pela Team Ninja e publicado pela Microsoft Corporation em junho de 2008 para os velhinhos da já antiga geração, Xbox 360, e mais tarde sob o titulo de Ninja Gaiden Sigma para o console negro mais famoso do mundo, o PS3.


Enredo


O enredo é um ninja descendo o cacete em vários cenários, em Tokyo, na Vila Hayabusa, nas montanhas, nas cavernas, em fim, em qualquer lugar onde o vermelho é um tom destacante. Você encara a pele do sinistro Ryu Hayabusa, um ninja do antigo Clan dos Dragões. Nesse meio tempo surgi um clan rival, chama Clan das Aranhas Negras, que está afim de zuar com o mundo e destruir tudo, aquele papo clichê de vilão. Para isso eles descem a lenha no pessoal da vila Hayabusa para roubar a Estatua Demônio. A aventura começa com Ryu indo atrás desse clan para recuperar a Estatua e impedir que os demônios toquem o terror na humanidade. A história segue essa pegada por todo o jogo, sem reviravoltas ou surpresas. Aqui o enredo é só a justificativa para levar o Chuck Norris dos ninjas a varias lugares do mundo, pintando tudo de vermelho. A trilha sonora também acompanha o enrodo, não sendo nem um pouco marcante.


Jogabilidade

Agora aqui é onde vocês encontraram o motivo desse jogo estar listado no nosso dignissimo Burning Fingers. Como um action hack and slash aqui está o difirencial desse jogo. Para os novinhos que ainda não conhecem o termo, hack and slash é aquele estilo de jogo onde a porradaria come solta com vários inimigos e hitcombos na tela. Bem conhecido em jogos como Devil May Cry e God of War. Você possui a visão de terceira pessoa e a unica dificuldade de combater ordens intermináveis de ninjas, demônios, aranhas e ninjas demônicos em formato de aranhas. Resumindo, se respira você bate.



Esse jogo tem uma particularidade, digamos que se eu tivesse um filho novo ele provavelmente não saberia da existência desse brinquedo, em particular. Você, como bom ninja bolado, avança no jogo pegando armas cada vez mais mirabolante e agressiva. Aqui a pressão arterial dos inimigos é 20 por 14, chegando a sair da tela e cair na sua cara. Então somando tudo, com o passar do tempo você aprende diferentes modos de abrir um corpo humano ou demoníaco. Não é exagero, o jogo adora os tons de vermelho.




Desligando


Ninja Gaiden II é diversão do começo ao fim, aqui a história esqueceu de aparecer deixando muito tempo para descer a mão na mulecada malvada. O jogo é muito difícil, morrer será sua constante na vida, por mais irônico que pareça. Não tem como falar de jogos difíceis sem citar algum Ninja Gaiden.


Nota: 3,0 quilos de sangue. Difícil, mas história que é bom nada né?!

Um comentário:

  1. Cara, o normal desse ninja gaiden é Hard, agora, o Hard.... é inumano! PQP, pior que ele só o primeiro do Xbox classico... MALUCO que porra de jogo dos infernos!

    ResponderExcluir