terça-feira, 10 de março de 2015

Burning Fingers : Lords of the Fallen

É com muitas ressalvas que hoje, nessa terça feira, que o jogo escolhido foi o Lords of the Fallen.



Lords of the Fallen foi produzido pelas desconhecidas  Deck 13 Interative e a CI Games. Lançado no final de outubro de 2014, exclusivo para a nova geração Xbox One e PS4. Esse action RPG saiu como uma cópia deslavada de Dark Souls, sério, os aspectos originais desse jogo são ínfimos.

História

A história aqui é bem mais descomplicada do que o Dark Souls, qualquer site vai fornece o enredo completo, sendo que o próprio jogo não deixará muitas lacunas. Nosso protagonista, conhecido como Harkyn, vive em um mundo onde todos os pecados são punidos severamente. Por ele ser um amante da zueira esse anti-herói possui todos os seus pecados tatuados na cara, e ainda aguarda a morte nas profundezas de uma prisão gélida. Eis que surgi um Deus muito do malvado para da cabo do mundo dos homens. Então Harkyn é libertado pelo seu novo amigo Kaslo, com a missão de enfretar os Senhores, acabar com a guerra e arruma loucas aventurar.


Jogabilidade


Como um bom action RPG sua jogatina se passa em terceira pessoa (vendo o personagem por completo). Aqui temos um combate dinâmico com uma dificuldade semelhante ou Dark Souls. Existe algumas diferenças insignificantes, mas algo que realmente aumento a dificuldade do jogo são os bugs. Velho conhecido da Ubisoft isso acaba com a jogatina. A situação é a seguinte : você passeando com seu personagem serelepe pimpão quando você é atacado e morto. Beleza, nada de tão sério, só voltar agora e pegar o corpo, mas assim que a tela de loading acaba você tem um ataque cardíaco e morre du nada. Cara, isso é para matar os diabeticos de raiva, pois para quem não sabe, ao morrer, você deixa cair todas as suas XP ( experiências) e caso morra novamente você perde tudo. Não tem TV que consiga segurar o controle.





Desligando


Chegando como um sucessor/copia de Dark Souls, Lords of the Fallen é considerado difícil somente para os juvenis bebedores de leite com pera. Não enquadra, nem de longe, no mundo e universo de Dark Souls, menos ainda na dificuldade. Não indicaria para nossos leitores hardcore nada alem de como passatempo a espera de Dark Souls. A história é simples, não prejudica, mas também não será lembrada. A trilha sonora não é presente e quase momento nenhum. A platina do jogo é facil de ser pega, demando somente tempo e paciencia.


Nota : 2,0 dedos quebrados. Acho que falei mais Dark Souls que LOTF nesse post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário