quinta-feira, 25 de junho de 2015

To Be Continued... Sétima Geração!

 Saudações adoradores-da-trindade-gamer! Chegamos à penúltima geração de consoles (por enquanto). Com a saída da SEGA na geração anterior, ficamos com três grandes empresas: Microsoft que chegou na geração anterior, Sony que veio destruindo na 5a Geração e a grande sobrevivente Nintendo, que caminha entre nós gamers desde a primeira geração. Esse trio se mantém até hoje na 8a geração, mas este será um assunto para semana que vem.


Os consoles representantes da Sétima Geração!

 
A imagem demonstra bem a política de cada empresa em relação aos seus consoles!

E a primeira a entrar na geração foi a Microsoft, com o XBox 360. Apesar do XBox ter tido um bom número de vendas na geração anterior, o total não correspondeu à previsão da Microsoft. Por isso ela se concentrou na produção de seu novo console. O XBox 360, além de rodar jogos, possuía retrocompatibilidade com jogos do XBox, era capaz de rodar filmes em DVD, CDs de músicas, reproduzir filmes, imagens e músicas através de conexão com dispositivos USB, conectar-se em rede a um computador com SO Windows, além é claro de ter mantido o maior sucesso de seu antecessor, a XBox Live.

XBox 360, em seu primeiro modelo (posteriormente conhecido como Pro)

A Microsoft desejava lançar seu novo console com um bom tempo de vantagem em relação aos seus concorrentes, e por isso lançou-o no final de 2005, apenas quatro anos após o seu antecessor e um ano antes de seus rivais. Com isso a empresa esperava manter o domínio do mercado. As vendas iniciais foram um sucesso, e os estoques se esgotaram no lançamento em todo o mundo, com exceção do Japão, onde a marca ainda não havia se firmado, e o console acabou vendendo ainda menos do que o Xbox. 
Porém, a pressa de lançar o XBox 360 fez com que alguns problemas sérios ocorressem com o console. Não muito tempo após seu lançamento, os termos "Red Ring of Death" (Anel Vermelho da Morte) e 3RL - 3 Red Light (Três Luzes Vermelhas) surgiram entre os gamers, causando terror aos donos do novo console. Esses termos se referiam à iluminação do botão de ligar do aparelho. Quando o mesmo era ligado, um círculo ao redor do botão se iluminava na cor verde. Porém, estava acontecendo de muitos consoles acenderem 3/4 do círculo na cor vermelha e pararem de funcionar ou "morrer". O problema era devido à falha ou superaquecimento da GPU.

 O temido Red Ring of Death

Mesmo com este erro fatal, as vendas do XBox 360 não diminuíram. A Microsoft conseguiu manter o XBox 360 no topo das vendas por um bom tempo (posteriormente foi ultrapassado pelo Wii).
Em 2009, a Microsoft anuncia na E3 o novo acessório para o console. Chamado na época de Projeto Natal (homenagem à cidade brasileira, dada por um de seus idealizadores, Alex Kipman), o acessório consistia em um sensor de movimentos, imagem e sons que permitia jogar os títulos compatíveis sem a necessidade de um controle. O Acessório foi lançado no ano seguinte, com o nome de Kinect e ajudou a manter o sucesso do XBox 360.

Kinect - O Sensor de Movimento. O aparelho era inovador, mas sofria interferências dependendo da iluminação do local, devido ao seu sensor infravermelho.

  Alguns dos Jogos Compatíveis para o acessório. 
Em sua maioria, eram jogos de dança e esportes.

O XBox foi lançado em mais dois modelos além do original. Em 2010 foi lançado a versão XBox 360 S, com uma forma mais esguia, um hardware refeito para aliviar os problemas de super aquecimento e com conexão para o Kinect. Em 2013 foi lançado o XBox360 E, com uma forma mais parecida com a do XBox One (Lançado no mesmo ano).
O XBox 360 ainda está em produção e ainda possuí lançamentos para sua plataforma.

XBox 360 e seus três modelos: Modelo Pro (esquerda), S (meio) e E (direita)

O próximo a entrar na geração foi o PlayStation 3 (PS3), representando a Sony. Lançado em novembro de 2006 no Japão, o PS3 deu um salto enorme de qualidade em relação ao seu antecessor, que já era bastante potente, com qualidades gráficas e sonoras surpreendentes. 

PlayStation 3. Mais um console de mega sucesso da Sony.

Além dessas melhorias, o console trouxe várias novidades e tecnologias integradas ao aparelho. Talvez a principal delas tenha sido o fato de adotar o Blu-ray Disc (BD) (como mídia para seus jogos. Isso possibilitou a criação de jogos com enorme quantidade de dados, permitindo aos desenvolvedores adicionar vários extras aos jogos, além de imagens em Full-HD em apenas 1 disco. Isso permitiu ao PS3 também ser um leitor de Blu-ray (além de DVD e CD). Na época o BD estava em ascensão e seus aparelhos eram caros, o que fazia o "pacote" PS3 interessante. 

 Final Fantasy XIII, Gran Turismo 6 e The Last of Us - Apenas alguns do vários títulos de sucesso que vieram com magnífica qualidade gráfica.

Outra mudança trazida pelo PS3 foi um serviço unificado de jogatina e interação online, a PlayStation Network. Nela existem serviços como a PlayStation Store, uma loja virtual multissistema (PS3 - PSP e PS Vita); a PlayStation Home, onde o usuário pode criar um avatar para 'morar' em uma casa virtual e interagir de várias maneiras com outros usuários e a PlayStation Plus, um serviço pago que concede a seus membros várias vantagens como descontos em jogos, demos antecipados e até jogos grátis.

Logomarca do serviço virtual da Sony.

O Playstation 3 contou com três versões. Além da padrão inicial, foi lançada em 2009 a versão Slim, mais leve e com menor consumo de energia. E 2012 foi lançada a versão Super Slim, ainda mais leve, e agora com uma tapa na unidade de BD, possivelmente para cortar gastos e baratear o console. Além da mudança de visual e peso, alterações de hardware também foram feitas. A mais notável foi a do tamanho do HDD, saindo de 20 Gb no modelo inicial até uma versão de 500 Gb do Super Slim.


 Versões do PS3: Slim (topo esquerda) e Super Slim (topo direita). 
Abaixo imagens comparativas dos três modelos.

Assim como o XBox possui o Kinect e o Wii o Wii Remote, O PS3 também lançou um sensor de movimentos. Neste caso foi o Playstation Move. Uma espécie de 'mini raquete' cujos movimentos que captados por uma câmera (PlayStation Eye), permitindo assim simular movimentos e controlar o jogo. A crítica de recepção ao aparelho foi dividida, alguns viram futuro no aparelho, outros consideraram apenas uma cópia do Wii remote.

Playstation Move e Playstation Eye.

Assim como o XBox, o PS3 continua em circulação, tendo vário títulos ainda sendo lançados para sua plataforma.

E o último a entrar na Sétima Geração foi o representante da Nintendo. Nada mais nada menos que o terceiro console mais vendido do mundo (sem considerar os portáteis). Em dezembro de 2006, um mês após o lançamento do PS3, foi lançado o Nintendo Wii. Inicialmente o console se chamaria Revolution, mas a empresa resolveu mudar o nome, pois queria algo mais simples que fosse fácil de pronunciar e gravar em qualquer cultura. Wii é para lembra We, 'nós' em inglês e os dois "i", um ao lado do outro, representam dois jogadores. Esse simbolismo serve para representar o fato do Wii ser um console para todos, com enfase da interação e nos jogos multiplayers. 


Em questão de hardware o Wii é o menos capacitado dos consoles da Sétima Geração. Possui resolução máxima de apenas 480p (contra os 1080p de seus concorrentes). O Wii também utiliza DVD como mídia. Entretanto, foi este console que revolucionou a Geração e definiu o rumo de muita tecnologia atual através de seu Wii Remote. Apesar do Wii ter sido lançado após seus concorrentes, a tecnologia do Wii Remote (Também conhecido por Wiimote) já veio integrada ao console e portanto veio antes do Kinect e do PS Move. É no Wiimote que reside a política da Nintendo de "revolução do modo de jogar" (daí o nome original de Revolution).

Wiimote foi lançado em várias cores.

O controle é conectado ao console através de Bluetooth e seus movimentos captados através de uma barra sensora, que pode ser posicionada abaixo ou acima da tv. Além de poder controlar as ações do jogo através do movimento, ele também conta com um sistema de vibração e um mine auto-falante embutido, permitindo a emissão de sons simples próximo ao jogador, como o som de um tiro, que sai do controle e vai até a TV, dando uma maior sensação de imersão. Inúmeros acessórios foram lançados para o controle, muitos apenas para mudar o visual e dar uma maior sensação de realismo, como volantes, raquetes de tênis e tacos de golfe.

 Wiimote acoplado a acessórios que o dão novas formas.

Na extremidade do controle existe um conector para periféricos. O mais conhecido é o Nunchuck, um controle secundário que possui um analógico e dois botões extras, permitindo um melhor controle e jogabilidade dos games compatíveis.

Wiimote e Nunchck conectados.

O Wii vendeu mais que seus concorrentes desde o seu lançamento. O sucesso se deu graças ao marketing pesado da empresa, à sua chamada para um novo público, à acessibilidade do console, garantindo diversão para vários públicos, e é claro, ao sucesso e reconhecimento de suas franquias, como Mario e Zelda. Além disso o Wii possuía retrocompatibilidade com jogos, controle e Cartão de memória do Game Cube. O Wii também detém o jogo mais vendido da história: Wii Sports.

Wii Sports: Mais de 80 milhões de cópias vendidas, mais vendido do que muitos consoles.

Em 2012 foi lançado uma segunda versão do Wii. Chamado de Wii mini, o console era ainda menor, e possuía cores vermelhas e pretas. A versão Mini teve várias funções removidas como toda a retrocompatibilidade para GameCube, recursos de internet, adaptador de LAN e não possía saída componente nem S-Vídeo (não rodava mais 480p).

Wii mini, vinha com um Wiimote e um Nunchuck vermelhos.

Em 2013 o console foi descontinuado. Ao todo foram vendidas mais de 100 milhões de unidades.

E semana que vem começaremos a falar da nova geração, composta pelos consoles Playstation 4, Wii U e XBox One, e como vimos, pelos sobreviventes desta Sétima Geração o PS3 e o XBox 360.

Até lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário